quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Passei pelo R.E.M e gostei


Em prol da minha adolescência perdida fui ao show do R.E.M nesta terça-feira (11/11). Uma coisa arriscada pois não sou a típica fã de carteirinha, só conheço os hits da banda e nem sei as letras de cor. E do jeito que o show começou já deixou claro logo que o Michael Stipes (pasmem, fiquei sabendo o nome dele no dia do show), não era um cara empenhado em bajular o público cantando só os sucessos. Conclusão, foi como se tivesse ido para uma festa de um amigo distante que fazia tempo que não visitava e que agora estava com outro rol de amigos em torno. A maioria das músicas me eram desconhecidas e me senti ligeiramente deslocada. Só ligeiramente porque o estilo da banda é inconfundível, e você sente uma certa familiaridade com qualquer uma delas. Já que eu não conseguia cantar e embromar direito, a única coisa que podia fazer para extravasar meu entusiasmo rock'n'roll era chacoalhar meu corpo. Valeu a pena botá-lo para se mexer por lá. Foi um baita show apesar da minha ignorância. O carequinha é hiper carismático, deixou passarem a mão na sua calvície assumida, discursou pró-Obama, cantou e encantou. Fiquei com uma vontade de ser mais assídua nestas manifestações da massa. E voltou o meu arrependimento em relação aos outros shows que deixei de ir por pura preguiça...
Depois do show um pessoal mais informado que eu me falou do carequinha Stipes com carinho, do posicionamento político dele, de como ele se tornou icone gay, etc. Acrescentou mais intensidade nesta minha recordação do show.

3 comentários:

ZECA disse...

REM é o exemplo de que NERDs podem formar uma banda de rock e fazer sucesso internacional.

Janaína disse...

Meu primeiro contato com essa banda foi através de amigos que curtem um rock politicamente correto. Gosto deles mesmo sem conseguir traduzir as letras direito! Foi uma pena não poder ir ao show... quem sabe, quando o Dan tiver uns 8 aninhos ele não leva a mamãe dele, já uma senhora com alguns cabelos brancos (podem não acreditar mas eu gostaria que eles aparecessem logo!) ao R.E.M.?
Ah, aqui nessa casa só vai ter roqueiro rsrsrsrs
Imposição? Nãããããão...
bom gosto se aprende no berço!

Anônimo disse...

Janaína
Quando o Dan tiver 8 aninhos ainda dá tempo, o Michael Stipes não vai estar tão velho, e você nem tanto. Os cabelos brancos não serão muitos quando este tempo chegar, hehehe. Não exagera... Mas pensando realisticamente, o Dan vai curtir outra praia, vai achar que é coisa de tiozinho...
Temos que nos dedicar a formar a cabeça do menino roqueiro...Patrulhamento cerrado para ele não desviar do bom caminho...

Crisim