segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Bookcrosser Crisim na ativa


Este final de semana tomei coragem e resolvi encarar a minha nova condição de "libertadora" de livros. Minha primeira ação foi na estação Liberdade. Minto, o Zé já havia libertado três livros meus, dois na Central das Artes e o outro dentro do metrô (no trem mesmo!). Só que no caso dele não tinha esta atitude "ideológica" minha. Fez porque pedi. Bom, como ia dizendo eu mesma estava devendo fazer alguma coisa. Neste momento solene não estava sozinha, Zezim e Kauê estavam comigo para testemunhar e dar um incentivo.

Depois de umas pernadas na feirinha da Liberdade, já de volta e na estação Consolação, deixei outro.

Um turbilhão de coisas, o coração batendo forte, a indecisão, alguns olhares alheios em mim. É uma experiência emocionante!

Se encontrarem algum livro solitário por aí já sabem...Está lá intencionalmente! Esperando um flerte... Porque tudo se parece mesmo com um approach amoroso, o livro está lá, a pessoa está também, os dois estão sem fazer nada...Quando dão por si ambos estão fisgados.


Para quem se interessar em embarcar nesta aventura, existem alguns lugares fixos de bookcrossing, com livros à espera de alguém para sequestrá-los. Se você for mais corajoso, torne-se membro e deixe alguns filhotinhos livrescos cairem no mundo:

Central das Artes - R. Apinagés 1081 - Sumaré

Salommão Av. Angélica, 2435 - Higienópolis

Casa das Rosas - Av. Paulista


2 comentários:

Janaína disse...

Acabei de me lembrar que já sou uma bookcrosser desde 2000, mesmo que essa onda ainda não tinha sido inventada. Eu explico:
Grávida sempre tem muuuitas dúvidas e isso não é particulalidade minha. Nossa amiga Corina comprou 3 livros sobre gestantes e bebês. Depois que o Pedro nasceu, ela me deu os livros e o Zé me deu mais um. Todos me foram muito úteis pois tratavam de assuntos relacionados à alimentação, exercícios, a hora H, etc... Foi um presentão que eu acabei compartilhando com outras futuras mamães.
Escrevi na folha de rosto (tudo bem, sei que é um hábito muito feio!)o nome das mamães e dos bebês. Começou assim: Este livro pertenceu a Corina, mãe do Pedro; Janaína, mãe da Lenice...; e elas continuaram: Adriana, mãe da Giovanna; Cibele, mãe da Ana; Joice, mãe do Iago; (Aí voltou pra mim... e Francisco); Cinara, mãe da Monique... daí por diante perdi a pista deles, mas foi um barato.

Etti Blanchard disse...

oi , então eu sou o autor das TERRES DU DEHORS, quero saber sua opiniao fazer amizade etc vlw ! e procuro outros livros meus.