domingo, 28 de dezembro de 2008

Natal Macabro na Argentina


Agora que o Natal passou posso comentar este assunto com as pessoas sem preocupações. É que algumas coisas quando são ditas parecem soar como premonição. Não reparem, são resquícios supersticiosos que persistem apesar do meu agnosticismo.

Quando se aproximam as festas de fim de ano as escalas de folga são feitas no meu serviço de uma forma que o arquivo não fique desguarnecido de gente nas vésperas, nos dias de Natal e Ano Novo. São os "plantões em casa". A gente não trabalha mas fica de sobreaviso em Sampa para qualquer eventualidade. O argumento mais comum é "e se o Pelé morrer..." Caso isso aconteça a gente tem que estar lá para fazer o fatídico levantamento de imagens... Mas o Pelé está firme e forte, vai ver foram muitos Vitasays que ele tomou e que mantém o ídolo de pé, hehehe.

O mais provável seria "e se o Maradona morrer...". Tudo bem que aparentemente o perigo já passou. Mas como ele deu muitas brechas para o azar, é possível que tenha alguma recaída. Sacumé, agora que é técnico da seleção argentina, muita pressão no cangote... Vai saber, né? E se não for isso, quem garante que com aquele formato rechonchudo ele não esteja com a taxa de triglicérides alta ou hipertenso. Seria ele diabético? Não sei como é o Natal argentino, mas se for algo parecido com o nosso, um abuso daqui outro acolá...

Mas imaginem se isso acontecesse mesmo no Natal...Dizer que seria uma desgraça é até um eufemismo. As proposições de Nietzsche sobre a morte de Deus se concretizam. Comoção nacional, luto oficial, peregrinações para o velório, os seguidores da igreja maradoniana em histeria religiosa. E nenhum Natal na Argentina seria mais o mesmo. Não mesmo. Pobrezitos!


3 comentários:

ZECA disse...

Que coisa, né Cris: se Dieguito, a partir de agora, se tornasse bandidão (criminoso mesmo, da pesada), a nação argentina ainda o idolatraria incondicionalmente. Imagine então se ele batesse as botas no período natalino? Cruzes... Seria uma hecatombe portenha sem tamanho. Peregrinos de todo o país se deslocariam até onde estivesse exposto o corpo de Maradona (que obviamente seria embalsamado como os corpos de Lênin e Stalin). Inventariam ladainhas, rezas; milagres seriam atribuídos a Dieguito. Ou seja: seria o fim de Jesus e Papai Noel na Argentina.

Emerson disse...

Muito boa essa imagem da mão de Deus! :-D

Janaína disse...

thyperesAh Cris, esquenta não e faz a escalade férias sem medo.
Don Diego não morre tão cedo, podes crer nessa minha premonição. Depois de tanto Natal branco, o cara não vai ter a pachorra de morrer antes da Argentina derrotar o Brasil na copa de 2014!
Só que nesse ano da graça de 2014, pode ser que o Pelé morra!